Unasp investe em obras de acessibilidade no campus EC

Tamanho da LetraA+A-

O Unasp campus Engenheiro Coelho, está passando por reformas para tornar os ambientes mais acessíveis às pessoas com deficiência. As mudanças fazem parte de um projeto desenvolvido pelo Curso de Arquitetura da instituição, sendo o prédio do Ensino Superior o primeiro espaço contemplado. 

Quem transita pelo prédio pode notar as alterações. Presença de piso tátil - específico para deficientes visuais - placas com identificação das salas de aula em braile, mudança do piso das rampas, entre outras. “Assim que o projeto chegou para nós na Vértice, começamos a ler as normas”, explica Wendell Zitkievcz, presidente da Agência Júnior de Arquitetura do Unasp. A principal referência para a reforma, segundo ele, é a norma da ABNT NBR-9050, atualizada em 2004.

A diretriz da ABNT tem por objetivo estabelecer critérios e parâmetros técnicos a respeito da acessibilidade na hora de construir ou adaptar prédios. A norma também contempla classificações de espaços e equipamentos urbanos. “É uma lei bem extensa e abrangente. Há especificações para atender necessidades de diversas deficiências”, afirma Jussara Schultz, coordenadora do projeto.

O presidente da agência do curso acrescenta que trabalhar com acessibilidade é se preocupar com todos os tipos de deficiência. “Não adianta querer atender as necessidades de portadores de uma deficiência específica, se outras demandas ficarão para trás. É preciso que todos estejam incluídos”.

Os planos de continuidade das mudanças se estendem para dentro das salas de aula. A meta é que a reforma também seja feita na biblioteca, laboratórios e algumas vias que levam à faculdade. Além disso, o planejamento de alterações engloba o prédio do Ensino Básico e Médio, os quais são utilizados por alunos especiais.

Moreno Zua, estudante de administração, é um dos alunos beneficiados pelas mudanças. Cadeirante e aluno do regime de internato do Unasp há dois anos, Zua conta sobre os benefícios de morar em uma instituição adaptada. “A reforma que mais me beneficiou foi a do banheiro. Eles fizeram muitas mudanças para que eu pudesse ter acesso. Além disso, só eu tenho a chave. É um banheiro exclusivo para mim”, conta. A instituição se preocupou também em reestruturar uma rampa na entrada do dormitório masculino para que o aluno possa entrar e sair com facilidade.

Os próximos passos da obra na faculdade vão além da conclusão das calçadas de acesso ao prédio do Ensino Superior. Entre elas estão a instalação de novos corrimãos com indicação de início e fim em braile, e a instalação de um elevador.

por Thaís Alencar