Rodrigo Silva estreia nova temporada do programa Evidências

Tamanho da LetraA+A-

Neste domingo, 9, a TV Novo Tempo apresenta sua nova grade de programação. Entre as novidades está a reestreia do programa Evidências, com a apresentação do arqueólogo e pastor, Rodrigo Silva. Além de apresentador do programa sobre arqueologia, Silva hoje atua no Centro Universitário Adventista de São Paulo, campus Engenheiro Coelho como professor do Ensino Superior e curador do Museu de Arqueologia Bíblica da instituição. Nesta entrevista, ele comenta sobre as novidades da nova temporada de seu programa e como o Museu pode ser explorado.

Unasp: O Programa Evidências é relacionado sempre a pesquisa, conhecimento, novidade e aprofundamento do conteúdo bíblico. O que o telespectador pode esperar deste retorno?

Rodrigo Silva: Nós estamos com uma temática para entender a arqueologia como uma das afirmações do texto bíblico, mas também, como o meio de esclarecer o contexto do texto bíblico, em que contexto a Bíblia foi escrita, como era a vida naquele tempo e a paisagem. A Bíblia é um livro inserido na história, sendo assim, ela tem cheiro, sabor, geografia e distância. Se você olhar o texto bíblico, grande parte da sua descrição é geográfica, com montanhas, rios, desertos e cidades. Essa nova temporada do Evidências é uma maneira de trazer até o leitor da Bíblia esse contexto que a Palavra de Deus foi preparada, e por fim, colocar a Bíblia em forma tridimensional.

Unasp: Sobre a série falando de Israel, como foram as expedições na "Terra Santa"?

Silva: Normalmente um canal de televisão precisaria de muito mais tempo e um investimento muito maior para realizar um produto como o Evidências. Eu posso testemunhar como um verdadeiro milagre o que aconteceu durante essas gravações. Apenas para que o leitor tenha uma noção, dessa vez encontrei uma equipe de um canal de TV brasileiro lá e eles estavam com 12 profissionais de televisão mais o apresentador para gravar apenas um programa. Eles ficaram lá por quinze dias para trazer para o Brasil um programa de meia hora. Nós ficamos 16 dias com quatro pessoas e trouxemos 24 programas. Então, isso foi uma bênção! E um detalhe: são programas de qualidade. A equipe se empenhou muito, houveram dias que quase não tivemos espaço para almoçar, correndo contra o tempo. Gravar fora do estúdio ocasiona alguns contratempos, pois você não tem o controle do ambiente e às vezes é preciso gravar uma pedra e o sol está batendo nela e estoura a imagem, às vezes você precisa de outra imagem e está com sombra. Essas são coisas que conspiravam contra o programa, mas eu sei que Deus ajudou, atuou e o resultado final vocês vão ver na telinha.

Unasp: Além de apresentador do Evidências, você é curador do Museu de Arqueologia Bíblica do Unasp. Como esse acervo, o maior da América do Sul, pode contribuir com os telespectadores do Evidências?

Silva: Os objetivos do Museu de Arqueologia são muito similares aos objetivos do programa Evidências, entre eles, estão: levar cultura para o povo, tanto a cultura geral como especificamente da Bíblia, para mostrar para as pessoas os elementos que confirmam a veracidade histórica da Bíblia Sagrada, colocar a Bíblia em uma moldura contextual, e enfim, ajudar um pouco na missão de Cristo de pregar a mensagem do evangelho e nesse caso, é lógico, pregar a mensagem de uma maneira histórica e arqueológica.

Unasp: Outras ações na área de arqueologia bíblica também estão sendo desenvolvidas com a participação do Unasp. Entre elas, a realização do primeiro Congresso Internacional de Arqueologia Bíblica. Qual a relevância da instituição para o fortalecimento de pesquisas arqueológicas e disseminação deste tipo de conteúdo que amplia a compreensão dos textos bíblicos?

Silva: Somos uma escola de grandes sonhos e muita coisa conseguimos até aqui. Um dos projetos que nós temos com relação à arqueologia é levar alunos para escavações arqueológicas no Oriente Médio. A igreja Adventista nos Estados Unidos já tem uma participação efetiva em sítios arqueológicos tanto na Itália, quanto na Jordânia e em Israel. A Igreja Adventista no Brasil, através do Unasp também está com o mesmo objetivo e interesse em pesquisas relevantes. Então, o próprio Museu vai ser uma fonte de pesquisa, as escavações que estamos planejando levar os alunos, postos de arqueologia e outras matérias bíblicas que serão oferecidas com a parceria do Unasp e Universidade Judaica. Ainda neste assunto, será realizado o primeiro Congresso Internacional de Arqueologia Bíblica que será sediado no Brasil. O evento é uma parceria da Moriá Center de Israel e da Universidade Hebraica de Jerusalém. Estaremos recebendo professores arqueólogos, professores do Museu de Israel, professores da Universidade Hebraica de Jerusalém e professores da Moriá Center, arqueólogos e pesquisadores israelenses que estarão vindo participar e fazer o fórum desse evento. Esperamos também a participação de muitos alunos e pessoas interessadas na área de arqueologia, tanto do Unasp quanto de outras instituições.

Para outras informações, acesse o site radiounaspfm.com.br

Escrito por Larissa Zanardi e Sara Costa em 05 de abril de 2017